MM0004 Maracatu Nação Encanto da Alegria – Baque Forte (2006)

Este é o quarto lançamento da série BPF (Brasil Passado Futuro), sendo este o segundo do Maracatu Nação Encanto da Alegria. Isso se justifica devido a importância dos membros do Encanto da Alegria, principalmente pela história do Mestre Toinho, que hoje é o principal entre o passado e o futuro dos Maracatus do Recife, e também pela própria articulação do grupo para a realização deste CD.

Por meio deste registro, várias toadas que estavam “quase” esquecidas, pois somente Toinho sabe cantar, e agora fazem parte do Patrimônio da Humanidade e ajudam a contar a história do nosso povo, principalmente uma “forma” de tocar Maracatu está registrada e resistindo no mundo que está a cada momento mais rápido e os Maracatus não estão fora dessas mudanças.

Outro fator importante: Durante a maior parte da gravação do CD, os membros mais antigos não puderam participar, porém a qualidade não ficou comprometida pois a transmissão do saber e fazer dos antigos já está com os mais novos, e com certeza o primeiro CD do Encanto da Alegria contribuiu para os jovens saberem da importância que eles tem como continuadores dessa tradição.

Com o CD essas músicas deixam de ser apenas de domínio público e passam a ser de domínio coletivo das comunidades que praticam essa tradição. Essa é a nossa intenção ao fazer essa obra.

Muito ainda tem que ser feito por essas pessoas, a fim de melhorar de forma real as suas vidas, mas isso vai além da nossa atuação, pois é uma questão de políticas públicas, que no caso não envolve apenas os grupos, mas sim as classes mais pobres do nosso país, porém ações afirmativas devem ser feitas, como aposentadorias para mestres e brincantes que dedicaram toda a sua vida a isso e hoje fazem a ponte do passado com o futuro. As prefeituras devem repassar melhor as verbas para essas comunidades e dar real apoio as festas realizadas por esses grupos. E nós como cidadãos devemos ter uma ética ao abordar essas comunidades e procurar aprender o significado dos ritos. Os tambores não são apenas tambores; as danças trazem muito mais do que movimentos corporais e o conteúdo das  músicas dizem muito mais do que possamos entender. Devemos também, antes de tudo, conviver e aprender com eles a construir um Mundo Melhor.